qualidade para a vida da mulher

A mulher pode pintar o cabelo durante a gestação?

A equipe do Materna conversou com obstetras, tricologistas, (especializados na saúde dos cabelos), e profissionais de salões de beleza para minimizar as dúvidas a este respeito. É um assunto polêmico ainda mas do ponto de vista da saúde do bebê e também da mãe, o que se prioriza é a prevenção.

O que percebemos é que a composição dos produtos para tinturas reage de maneira diversa em cada mulher.

Por este motivo, não existe um padrão de conduta relacionado a pintar os cabelos na gestação.

Depende de como cada mulher reagirá aos produtos.

A Organização que estuda e orienta sobre Teratologia, (OTIS, em inglês), uma rede internacional que divulga dados sobre possíveis riscos na gravidez, afirma que não há relatos oficiais de que tinturas de cabelo tenham provocado mudanças na gestação, mas muitos profissionais de beleza já testemunharam gestantes, que sentadas na sala de espera de salões, sentiram-se mal só de sentir o cheiro de produtos que estavam sendo aplicados em outras mulheres.

Estudos mostram que possíveis efeitos prejudiciais ainda não são conclusivos.

O tricologista Valcinir Bedin afirma que é durante a gestação que o cabelo atinge seu auge. “A gravidez é um período muito bom para os cabelos porque os hormônios femininos estão aumentados em relação ao hormônios masculinos, que são os responsáveis pela queda de cabelos e pela oleosidade dos fios”, diz o dermatologista.

Até a crença de que não se pode tingir os cabelos durante a gestação é incorreta. Segundo o especialista, no passado as tinturas eram feitas com metais pesados, como o chumbo, o que fazia com que os médicos proibissem as tinturas.

“Hoje isso não ocorre mais e as tinturas podem ser usadas, mas tem que haver o cuidado com os processos alérgicos, uma vez que o couro cabeludo é muito vascularizado e pode responder com alergia ao contato com a tintura. Do ponto de vista puramente médico não há problemas em se utilizar nenhuma tintura autorizada pelo Ministério da Saúde”, diz Bedin.

De qualquer forma a prevenção sempre é a melhor conduta.

A obstetra Rosa Maria Ruocco, do Hospital das Clínicas de São Paulo, aconselha que não se tinja os cabelos pelo menos no primeiro trimestre da gestação, por esta ser uma fase de maior formação dos tecidos e órgãos fetais. Para ela, “de preferência, o bom é esperar até 20 semanas”.

A médica também tem algumas dicas para quem não está aguentando o visual de sempre ou os cabelos brancos: usar tonalizantes (que têm curta duração), luzes e reflexos — por serem produtos que quase não tocam o couro cabeludo, eles podem ser aplicados a partir da segunda metade da gravidez com maior segurança.

O portal Materna, baseado nas entrevistas de profissionais das áreas de estética feminina e de saúde, sugere:

“ Cada mulher reage de uma maneira única às mudanças hormonais e metabólicas na gestação. Consulte sempre seu obstetra e obtenha dele seu aval para poder ou não colocar produtos em contato com sua pele. E neste caso, no seu couro cabeludo.”

Se você deseja mesmo aplicar um produto, mesmo natural, fique atenta para comprar uma hena pura, e não misturada a outros produtos químicos, que acabam sendo a mesma coisa que as tinturas. Confira o rótulo.

E na hora de escolher um salão para pintar o cabelo, certifique-se de que seja um lugar bem ventilado para não se expor demais aos vapores químicos durante a aplicação. O mesmo vale para a aplicação caseira, a qual deve seguir direitinho as instruções do fabricante e durar o menor tempo possível. Não deixe de usar luvas e de enxaguar muito bem o cabelo depois.

Cesar Selvini
Publicitário, CMO & Founder do portal Materna.

Compartilhe
o artigo

Imprima o artigo
para ler depois

Veja os comentários dos
leitores e comente também